expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Translate

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

SOCIEDADE E EDUCAÇÃO: Resumo do texto "As eleições e a democracia"

 

                                                                                                        Pedro Samuel de Moura Torres



                        As eleições e a democracia

 
 

O texto “As eleições e a democracia” tenta abordar a definição mais clara do que vem a ser a democracia em nosso país, tendo como exemplo fundamental e exposto o processo eleitoral (democracia representativa) que constitui um modo de atender e servir ao povo, tornando os cidadãos participativos na busca dos ideais sociais. A eleição torna-se o mecanismo mais evidente para se democratizar a sociedade, a democracia não se restringe somente à eleição, mas também a adoção de preceitos e procedimentos. No texto remete-se à historia ao explanar sobre a origem da democracia e seu legado social que vem da antiga Grécia sobre as tentativas de organização e adaptação dos direitos e deveres dos cidadãos demonstrando como se lidavam com a coletividade daquela época que remanesce até hoje. Acreditava-se que através da politica se poderia organizar a sociedade expondo-a como a arte do bem viver, utilizando do recurso do sorteio.

Urge o governo dos melhores denominada de aristocracia a qual se busca a seleção de representantes e pessoas competentes para a gerência e defesas dos ideais de um grupo. O ato de votar é a seleção do que se consideram os melhores, para Aristóteles o governo dos melhores designa-se aristocracia. Sendo de origem grega a democracia já era bastante valorizada por aquela civilização, o que evidenciava a preocupação já precoce sobre o governo de um povo. Todavia, mediante um governo em busca de igualdade permaneciam lacunas não preenchidas, pois o direito de voz e do voto era exclusivo para uma minoria, sendo que grupos como os escravos, as mulheres e estrangeiros eram excluídos de tal direito. Foram os gregos os pioneiros da engenharia institucional, na busca por um governo onde teoricamente todos podem exercer poder. A coletividade implica em conflitos de interesses já que é impossível agradar a todos e permitir que todos decidam nos interesses coletivos, a partir disso é que o governo aristocrático se fez necessário facilitando a administração das massas. 

A eleição é diretamente associada à ideia de democracia, pois são através dela que na atualidade os indivíduos se sentem cidadãos cumprindo seus direitos, adotando seus deveres e instituindo governos representativos, entretanto o conceito de democracia abrange significados mais além que apenas o exercício do voto. Salienta-se a grande relevância da democracia como um recurso para melhor constituir a coletividade que necessita de organização, de tomadas de decisões na busca de qualidades na vida social. Comenta-se o progresso da eleição no Brasil pelo seu avanço e pela estabilidade e que mesmo com a existência de algumas imperfeições o objetivo é fazer com que os cidadãos se envolvam com a politica. Segundo o texto a justiça eleitoral é composta pelo Tribunal Superior Eleitoral, Tribunais Regionais Eleitorais, pelas juntas Eleitorais e pelos juízes eleitorais.

Também problematiza a questão de que a democracia é em teoria existente para todos, entretanto, na tomada de decisões poucos poderão ater-se do poder pela necessidade de uma hierarquia governamental organizada. A eleição veio imposta e estabelecida como um meio de democratizar numa tentativa de tornar acessíveis a todos a escolha de um representante que venha a suprir seus interesses nos procedimentos decisivos e sociais. Na atualidade a mídia é o veiculo primordial para influenciar a mentalidade dos cidadãos que são de certa forma teleguiados e seduzidos pelas promessas quase nunca realizáveis. O poder do bom argumento e da retorica prevalece bastante na atração dos seguidores e eleitores e é principalmente através das mídias sociais que se transmitem as ideias e propostas dos governantes.

No Brasil o processo eleitoral vem cada vez mais progredindo tecnologicamente e em abrangência. Sua influencia sobre a educação, a cultura e na sociedade é bem notório, pois implica em novas regras e deveres a serem cumpridos e aprendidos desde a educação elementar, mas somente em tese, pois na pratica infelizmente a politica dos maiorais é mais manifesto. Os direitos são teoricamente democráticos, entretanto na verdade quem tem mais poder terá maiores privilégios. Essa é a grande hipocrisia da nossa sociedade, a educação publica não produz o mesmo êxito que as privadas, o que demonstra a ineficácia da democratização educacional.