expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Translate

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Relato sobre as práticas de leitura e escrita de ygor


 

Ygor diz não ter lembranças de como adentrou no mundo da leitura, já que sua infância foi vivida envolta em brincadeiras e diversões nas praças de Salvador.  Relata lembrar-se de quando ganhou sua primeira revista em quadrinhos “a turma da Mônica” quando já em torno dos 14 anos. Se identificando com uns dos personagens, o Cascão, pelo fato da aversão à água que possuía quando jovem, serviu de estimulo a sua leitura.

No segundo grau, foi estimulado a conhecer obras literárias brasileiras como O menino do espelho, de Fernando Sabino, Memórias do Cárcere, de Graciliano Ramos, O Mulato e O Cortiço, de Aluísio Azevedo, O Retrato de Dorian Gray, de Oscar Wilde, se identificando com todos.


Expõe que suas leituras mais proveitosas foram Dom Quixote, de Miguel de Cervantes, A Divina Comédia, de Dante Alighieri, O Príncipe, de Nicolau Maquiavel e Triste Fim de Policarpo Quaresma, de Lima Barret, ao passo que antipatiza e deprecia suas leituras como Água Viva, de Clarice Lispector, O Alquimista, de Paulo coelho e O Código Da Vinci, de Dan Brown.

2005, para Ygor, foi um ano de descobertas, revelando-se admirador de Jorge Amado e Machado de Assis. No mesmo ano, conheceu Gregório de Matos, o qual, em sua opinião, é o maior poeta do Brasil. Ygor revela-se um apreciador de poemas se deleitando ao ler os poemas de Mario Quitana, Fernando Pessoa, Carlos Drummond de André, Castro Alves, Cruz e Souza, etc. Também teve contato com a literatura de cordel, de autores desconhecidos, que lhe trouxeram perspectivas mais amplas pra esse tipo de texto, que o considera incrível.

Ao ingressar na Universidade, começou a se envolver em grupos de debates pela internet, escolhendo assuntos pertinentes ao seu curso, tais como cultura, política, e filosofia. Nesses mesmos grupos, cambiam-se ideologias, e debatem sobre tópicos modernos da mídia. Por convites de colegas de militância estudantil, chegou a publicar alguns textos em sites de Partidos Políticos de Esquerda da Bahia.

Ygor é um leitor incansável de filósofos tais como: René Descartes, David Hume, John Locke, Gottfried Leibniz, Jean- Jacques Rousseau, Bertrand Russell, Immanuel Kant, Gottlob Frege e Ludwig Wittgenstein.

Seus últimos livros foram Hamlet de Willian Shakespeare, A Arte da Guerra, de Sum Tzu e Memórias Estudantis, de Ana Maria Araújo. Também lê raramente revistas impressas como “Scientific American Brasil”, “Carta Capital” e “Caros Amigos”. Confessa deliciar-se com revistas da playboy, embora, na mesma, encontram-se matérias com vários intelectuais de diversas áreas. Ygor se entretém com jornais lendo os artigos de esportes, as Charges e Culinária. Aprendeu a importância de obras literárias após entrar na universidade, sendo conscientizado por filósofos que sabem a relação intima entre filosofia e literatura.